29 de março de 2005

É para tabaco

Eu não sei se estou errado, porque até sou dos que se enganam e têm dúvidas. Mas se eu para aqui disser burrices que possam medir-se em anos-luz, peço humildemente, embora sem requerimento, que o Roncinante faça o favor de me corrigir. No sentido de me restituir a tranquilidade do sono, sem Xanax, e de salvaguardar os legítimos interesses da activa indústria nacional e o perseguido aumento da produtividade que tanto se nos escapa.

Os números vêm assim mesmo na revista Pública, distribuída ao domingo com a edição de um jornal dirigido por um conhecido independente de direita, desertor das fileiras de um partido dito de extrema esquerda, apoiante incondicional de reuniões na Base das Lages e da instauração, pela força, de regimes democráticos feitos à medida como os fatos do Silva e Sistelo, passe o reclame.




Então a Comissão Europeia, que a partir desta época é treinada pelo técnico português José Barroso - o José Mourinho é o que treina o Chelsea! - investe anualmente 963 milhões de euros, mais de 193 milhões de contos, qualquer coisa como cerca de 18 vezes o prémio esperado no euromilhões desta semana e cerca de 400 pequenas moradias familiares como a que o sempre lembrado Manuel Damásio habita na modesta Quinta da Marinha! E tudo isto no propósito altruísta de nos por todos a fumar, de fazer subir as cotações em bolsa das acções das tabaqueiras, garantir aos accionistas maiores dividendos, acautelar a sobrevivência dos descendentes dos Josés de Mello até à trigésima geração e fazer com que contraiamos cancro do pulmão e possamos ser assistidos nas unidades de saúde dos mesmos grupos até acordarmos mortos!

E depois lança uma campanha que mais parece um tributo aos Beatles, os quatro ainda vivos, para a qual orçamenta 72 milhões de euros, mais de 14 milhões de contos, menos de uma vez e meia o prémio esperado no euromilhões desta semana e cerca de 29 pequenas moradias familiares como a que o sempre lembrado Manuel Damásio habita na modesta Quinta da Marinha! Então é apenas este o apoio que a Comissão do José Barroso se propõe dar aos activos empresários europeus do sector da saúde para que tenhamos uma vida com o bolso livre de maços de tabaco. E os pulmões cheios dele, à custa do vizinho do lado!

Desculpem, mas vou continuar a fumar [*], solicitar uma pre-reforma qualquer, arranjar um terreno de pousio na Planície Heróica, fazer formação profissional que deve estar disponível num qualquer centro de emprego de Lisboa e inscrever-me como produtor de tabaco. Alguém, em Bruxelas, faça o favor de interceder junto do José Barroso para que a União me atribua um subsídio qualquer. O requerimento, de que consta o número de identificação bancária de uma conta na Suiça, segue em separado, por correio azul. Não se preocupe a União com as perdas de câmbio que eu vier a sofrer: são contingências do negócio!

[*] - Verdade, verdadinha que, graças a Deus e à vontade que tive e mantenho, já não fumo desde 2 de Março de 1993. Na perseguição, baldada, de levar a Tabaqueira à falência e de conseguir emprego alternativo e melhor remunerado para o pessoal. Não atingi este objectivo, mas tenho hoje a "chaminé" limpa do meu fumo, a consciência tranquila e o bolso igualmente vazio!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial