11 de janeiro de 2006

A lágrima

Confesso que me comoveu até às lágrimas - eu, que tenho maior dificuldade em soltar a lágrima furtiva do que o Dr Sampaio! - a preocupação patriarcal com que Mário Soares um dia destes afirmava ser a sua eleição para presidente da república importante para o futuro dos nossos filhos. Do mesmo modo que já antes me comovera a preocupação paternal que tinha manifestado em pleno dia de eleições autárquicas, aconselhando legalmente e de forma isenta o voto no seu rebento João. Interpretei a atitude, naturalmente, como um reclamado direito à indignação contra a D. Judite de Sousa e tudo aquilo que ela representa, desde mulher do vermelho Seara - cujo nome será seguramente Fernando Seara Nova! - a agente fantoche de uma comunicação social sectária e parcial a que, felizmente, não pertencem jornais sérios somo o 24 Horas, o Crime e ainda aqueles que o regedor da Madeira tem bem domesticados e seguros pela trela. Este país há-de transformar-se num imenso Portugal, nem tu sabes como tiveste razão antes do tempo Chico!

2 Comentários:

Às 4:21 da manhã , Blogger Zecatelhado disse...

Boa!

Um bração do
Zecatelhado

 
Às 7:34 da tarde , Blogger contradicoes disse...

Sempre oportuno amigo Luis, na sua critica. Com um abraço do Raul

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial