12 de janeiro de 2017

Gostar de ti é dizer-to

Gostar de ti é dizer-to. E repetir-to, como um “chatinho”, até o ouvires. Tanto, tanto, até o perceberes. Tudo, até o saberes, sem reticências e sem dúvidas. É sentir esta manhã cinzenta e húmida a entrar pela janela. Confortar-me com o teu sono tranquilo, aconchegar-te à penumbra do dia e ao branco dos lençóis. Acariciar-te as pálpebras cerradas, para que um sorriso se liberte dos teus lábios. Trazer-te à cama o pequeno-almoço, numa bandeja só para ti. A chávena de leite fumegando, soltando aquele inconfundível aroma a quente e a café. As torradas afagadas com manteiga, ainda a derreter-se. Sentar-me a teu lado, na beira da cama, pousar a minha mão sobre a roupa que te agasalha as pernas. Ver-te comer sem nenhuma pressa. Ver-te sorrir e sorrir contigo. Perder-me no fundo tranquilo e meigo do teu olhar. Darmos as mãos e vermos a sol subir pela cor promissora da parede.


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial