7 de dezembro de 2016

O amor é esta coisa

Sussurro amo-te e respondes-me que o amor é outra coisa. E tens razão, o amor é outra coisa. E a mesma coisa. E mais uma coisa. E todas as coisas. Uma coisa que me faz faltar o ar. E que me enche os pulmões. Uma ternura que me afaga os cabelos. E um vento fresco que me despenteia. Uma névoa líquida que me tolda o olhar. E um brilho verde que me dilata as pupilas. Uma mão quente no teu peito. Uma mão fria no meu bolso. Um sonho nos teus olhos. Um desgosto na tua apreensão. Um conforto nos teus braços. A tua cabeça no meu ombro. O amor é outra coisa. Um triângulo equilátero sem lados iguais. Uma esfera sem fórmula matemática para o volume. Uma dízima infinita no meio de um segmento de recta. Em cujos extremos estamos apenas nós. Os dois. A tua mão na minha mão. Os teus dedos nos meus dedos. O teu sorriso nos meus lábios. O amor é esta coisa!


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial