3 de junho de 2017

São curtas as horas

São curtas as horas para que as minhas mãos cheguem ao limite do teu corpo. Um corpo pequeno para o comprimento do abraço e para a fragrância do sorriso. Mesmo assim te tento percorrer, como se fosse de rosas a cortina transparente dos teus olhos.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial