23 de novembro de 2004

De boas contas

Um velho ditado popular que gira por aí assevera que "não basta à mulher de César ser séria, é preciso também que o pareça". Seja este César aquele que for, parece que mesmo os atributos que a mulher possua o não podem certificar a ele como homem sério. É preciso também que ele o pareça e, mais do que isso, que o seja.

A observação vem a propósito do ministro qualquer coisa da silva, também conhecido pelo ministro do contraditório, e ainda dos três anos que o tribunal despendeu para o conseguir notificar. A ele que é licenciado em direito, tinha escritório de advogado, morada conhecida e desempenhava cargos políticos do domínio público. Que eu me recorde, a furtar assim as canelas à biqueira dos adversários nem sequer Chalana nos seus melhores tempos. Apenas a enguia, essa é que se nos escapa por entre os dedos!

1 Comentários:

Às 3:13 da tarde , Blogger Carlos a.a. disse...

O dever é uma honra e pagar é brio!
Se um gajo pode ser honrado para que há-de querer brioso?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial