29 de março de 2007

Há gente para tudo

Há dias foi noticiado o facto de forças iranianas terem aprisionado uma patrulha de 15 marinheiros ingleses, alegadamente por esta estar em águas territorias daquela república islâmica. Responderam os súbditos de sua majestade e aios do Sr. Tony Blair que não, que a alegação era falsa porque a sua patrulha se movimentava ainda em águas do canal da Mancha. Ripostaram os iranianos dizendo que não, que os ingleses navegavam já entre dois decímetros a vinte centímetros para lá da linha de pesca que define a fronteira. Mas, mais do que isso, sabe-se que a força aprisionada, num total de 15 elementos, era composta por 14 homens e por uma mulher. E fica por se saber o que fariam tantos homens no meio de uma só mulher, mesmo armada até aos dentes, tanto mais que esta, segundo o rigor das agências noticiosas, é casada e mãe de uma menina com 3 anos de idade.

Ontem, ao que parece, a televisão iraniana mostrou ao mundo o grupo prisioneiro, enquanto este se alimentava substancialmente, com uma ementa dietética, que excluia a carne de porco e as bebidas alcoólicas que, como se sabe, se não podem consumir no Reino Unido em qualquer local e a qualquer hora. A mulher foi já mostrada quando saboreava a bica e fumava o seu cigarro e foi dizendo que estavam todos bem, sem fome, bem tratados, e que apenas tinham sido convidados pelas autoridades iranianas a passar uma semana de férias, à semelhança do que o Sr. George Bush tem feito relativamente a uma série de turistas com poucos recursos que, voluntariamente e por convite, gozam das delícias das Caraíbas nas praias de Guantanamo.

Ao que parece ainda, para que isto se assemelhe em tudo ao jornalismo de investigação, os orgãos de comunicação do Reino Unido propagaram que os iranianos tinham exibido uma mãe inglesa perante as câmaras de televisão, mascarada de marinheira por detrás de um fato militar, usando capacete, máscara, granadas e arma automática como se fosse o Rambo, com uma fotografia da sua filha de 3 anos a pender-lhe de um dos bolsos do camuflado e o poema de Fernando Pessoa a escorrer-lhe da memória. Contrariamente ao que qualquer analfabeto possa pensar - por melhor que os analfabetos pensem, como se sabe! - a excelsa mãe limitava-se a amamentar a filha num ambiente apenas um pouco mais animado do que os verdes campos de golfe dos reinos de sua majestade!

5 Comentários:

Às 11:09 da manhã , Anonymous Cla disse...

Hoje sinto-me lisonjeada!
Que privilégio poder apreciar em primeira mão a delícia do teu sarcasmo!
Já sabemos que os órgãos da Comunicação Social estão pejados de jornalistas medíocres... Também não admira com o que se passa em algumas universidades(?)... Se nas terras de sua majestade acontecer o mesmo que se verifica por cá, não podemos esperar muito...
No entanto, este tipo de jornalismo existe porque o povo o permite, devorando tudo aquilo que apela para o seu sentimentalismo "lamechas"!

 
Às 2:22 da tarde , Blogger meg disse...

Como tu inventas o tempo!
Agora já não me surpreendes...
sei do que és capaz, depois desta última semana.
Dizer-te que gostei é repetir-me, eu sou sempre a mesma... e espero mais de ti, por isso.
Quem me dera essa capacidade de roubar tempo ao tempo que falta...
Um beijo

 
Às 5:05 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Tenho lido com atenção o que tem vindo a escrever. Eu sinceramente aconselhava-o a escrever no jornal 24horas, pois esses sim não têm nada para fazer e até inventam. Seria mais um contributo que lhes dava para eles aumentarem as vendas. O Exmo. Senhor escreve coisas só para o "deita abaixo". I É demais!!! De onde vem tanta frustação? Não vou ler mais coisa nenhuma escrita por si.

 
Às 11:04 da tarde , Blogger meg disse...

Nós gostamos do que tu escreves...a coisa anónima não gosta do que tu escreves...
logo, não gosta do que nós gostamos...
Solução... óbvia!
Mas é feio atirar a pedra e esconder a mão!

 
Às 2:04 da tarde , Blogger bettips disse...

Olha o mistério...que giro, também és lido por "independentes" ou "maiorias silenciosas"... Uma tal abrangência é fruto democrático!Havia o "bota abaixo" que chato, havia o "esteves" que tinha estado em qualquer lado.. ele há os doutores que se equilibram sempre, comentadores do o "comme ci, comme ça"
ele há de tudo! E acho que a informação, mesmo a de sua Majestée, já é um caminho tortuoso...não me falem em auto estradas da informação!! Abç

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial