28 de fevereiro de 2017

Um mar grande

Um mar grande, um mar enorme, um mar de maré cheia. Rugindo. Poderoso e ameaçador. Um mar inteiro, um mar todo, um mar absoluto. Um mar submergindo a tarde, sem portos e sem barcos. Um mar soberano, subjugando areias, praias, destroços. Indomável e inclemente. Absoluto. Um mar sem cedências, implacável. Um mar de todos os pequenos e grandes naufrágios. Teatro de guerras, cemitério de frágeis caravelas e de indestrutíveis transatlânticos. Esquife de homens, morada derradeira de marinheiros. Vencedor de cabos e promontórios, ameaçando a altura do voo assustado de todas as aves marinhas. O mar tenebroso, escuro, negro. Sempre por descobrir, sempre por conhecer!


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial