13 de setembro de 2006

Falta de verbas

Leio, espantado e sem espanto, em título de primeira página de um dos jornais ditos de referência de Portugal e dos Algarves: Projectos de combate aos fogos no Gerês parados há quatro anos. Falta de verbas éa razão apontada por presidente da comissão parlamentar.

Assim, de facto, não há parque nacional que resista. Nem este, nem nenhum! O Verão, os fogos e até os incendiários deviam ser cooperantes. E o orçamento, obviamente, também. Sabendo uma das partes fragilizada, vem o Verão e aquece até temperaraturas que provavelmente nem o inferno regista. Os fogos, matreiros, apercebem-se da fragilidade e propagam-se. Os incendiários, com ou sem carteira profissional, fazem florescer o comércio dos isqueiros, chegam lume ao paivante, lançam a beata para o amontoado de caruma seca.

Como se isso não bastasse, a comissão parlamentar estiola. É para lamentar! Sem verbas que permitam receber atempadamente as senhas de presença, sem ajudas de custo para visitar o parque enquanto este não arde, sem dinheiro para criarmais pontos de água, a encomendar directamente a S. Pedro, misericordioso e bom! Sem cantoneiros que se disponham a reparar, digo requalificar, utilizando pá e pica, velhos e inúteis caminhos a corta-mato. Não pode haver parque ou projecto que resista. E a comissão parlamentar, se resiste, sabe Deus à custa de quantos sacrifícios, de quantos minguados caldos iludindo o estômago, de quantas férias sem o aconchego rural da Quinta do Lago!

1 Comentários:

Às 11:27 da tarde , Blogger bettips disse...

Na "mouche" meu querido amigo. Como vês, apareço. E já te disse porquê: és claro na tua análise e bem contundente no lavar dos cestos. Aqui o Norte anda distraído, são muitas margens de luta neste rio... Continua assim. Abç

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial